domingo, 1 de maio de 2016

Soluços de Desespero

Soluçando, ela ainda sentia o amor.
Aquele mesmo, que quebrou as barreiras do tempo.
Que a fez plantas flores novamente.
E ter o jardim mais lindo.
O choro era inevitável.
Assim como acordar do pesadelo.
Várias ligações feitas para uma caixa postal.
E sua alma pedindo socorro.
Ele não a ouvia.
Estava dormindo.
Ou não?
Sem respostas, ela continuava a soluçar.
As lágrimas molhavam o travesseiro.
As horas se multiplicavam ao invés de passar.
O telefone estava colado à mão.
O sono não vinha.
A noite assombrava.
O tormento aumentava.
Ela queria fugir.
Queria gritar.
Pedir ajuda.
Para quem?
Se seu anjo protetor já não estava mais presente.
Ela abre os olhos.
O sol estava acordando.
Resolveu fazer uma última tentativa.
Alô!
Seu coração voltou a ter esperanças.
Descobriu que tudo pode ser mudado.
Que quando há amor.
Tudo pode ser superado.
Me perdoe.
Eu ainda te amo.
Palavras que não são ditas ao vento.

Palavras que tem um significado único.
Significam que a eternidade pertence a eles.
Que tudo pode ser reconstruído.
Pode ser reconquistado.
Pode ser superado.
Pode se transformar em um monte de mentiras capaz de matar dois corações.

Silvana Hennicka!