sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Acredite Desacreditando

Eu gostaria de dizer que está tudo bem, que já não lembro, que tudo foi apagado da minha mente, mas eu estaria me enganando. Os minutos se transformam em horas, que se transformam em dias e assim, eu vou disfarçando que está tudo bem, que já não há sofrimento por ter sido deixada. Me enganar virou rotina e assim eu sou feliz, da maneira que escolhi pra viver. Einstein já dizia que para ser feliz se agarre a uma meta e não a pessoas ou coisas materiais. As metas, por mais que demore, você pode realizar um dia. As coisas materiais, por mais que demore, você poderá comprar um dia, já as pessoas, por mais que você as ame, irão te decepcionar, mais cedo ou mais tarde. Aprendi que se entregar de corpo e alma é um risco muito sério a correr. O melhor é entregar o corpo e guardar a alma em um lugar bem seguro, longe dos olhos das pessoas falsas que nos cercam. O amor é banalizado por pessoas que nem sabem o significado dessa palavra ou até mesmo desse sentimento. Elas iludem umas as outras, jurando amor eterno e no fundo nem sabem o que realmente é a eternidade. O amor de alguém é seu até o momento que essa pessoa encontrar alguém mais interessante que você. Acreditar em amor eterno é estupidez. As pessoas amam até o momento que deixam de amar. Eu acreditei em alguém me disse que me amaria pra sempre e não importasse onde ou com quem eu estivesse, ele continuaria me amando, mas me provou o contrário e quando eu descobri tudo, ele, de tão covarde, fugiu, pois não conseguiu mais me olhar nos olhos. Eu gostaria que um dia ele voltasse, nem que fosse pra me explicar o que o fez me tratar dessa maneira, mas eu sei que isso não vai acontecer, ele não tem nada pra me dizer, já que pedir desculpas não faz parte da sua vida. 

- Silvana Hennicka