domingo, 23 de fevereiro de 2014

Saudade Que Me Faz Bem

Hoje está chovendo calmamente e quando isso acontece eu relembro. Relembro o quanto era bom te beijar e me entregar. A chuva molha a janela do meu quarto e ouço os pingos se chocando com o telhado, como se fosse uma canção de ninar, mas não posso dormir, eu sonharia, e sonharia com você. Abro a cortina e vejo a rua aqui do alto da torre do meu castelo. Queria poder olhar em seus olhos mas as decisões que tomamos não podem ser mudadas e não há como voltar atrás, você fugiu, partiu, se foi e eu aceite, afinal eu também só queria a parte boa, a parte onde vivíamos dentro de um mundo só nosso, livre dos olhos das pessoas. O bom de tudo o que se permite viver é poder decidir o que guardar na memória e eu te guardarei para sempre, pois as lembranças que tenho de você me fazem viajar em direção a eternidade e assim tenho a certeza de te reencontrar um dia. Eu gostaria de chorar nesse momento mas só consigo sorrir, só consigo sentir meu coração acelerar quando fecho os olhos e lembro de como tudo se deu, do quanto fomos irresponsáveis, porem, ousados e então, eu curto a minha "feliz saudade", já que mesmo próximos, continuaremos afastados e não há nada que possa mudar essa situação. Se fosse em outra época, talvez hoje fosse o dia ideal para eu ficar deprimida, mas você me ensinou que sua paixão era movida pelo meu sorriso e antes mesmo de você me falar isso, eu já sorria, eu já me considerava uma mulher livre e é por isso que você ou qualquer sentimento, não tem o poder de apagar minha luz. Aprendi, sofrendo por amor, que não vele à pena se entregar ou se doar por completo, é preciso apenas somar com alguém momentos mágicos e verdadeiros e isso eu tive com você. Eu sou uma mulher tão completa e realizada, que o meu desejo diário, é que o fim da tarde chegue e eu volte pra solidão do meu mundo, pois vivendo em algo vazio, eu posso decidir o que pensar e para onde me transportar e nesse momento, eu estou vivendo em um lugar chamado "lembranças".

- Silvana Hennicka

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Preciso de uma poesia, de um suspiro no ouvido e de um amor passageiro. Queria abraçar o vento e viver coisas que me tiram o fôlego e arremessam a minha razão para longe. Necessito estar fora desse mundo perfeito e hipócrita, pois na minha imperfeição encontro paz e vontade de buscar mais e mais amor. Me assusta a falta de apego que tenho por coisas e pessoas... sou julgada e sorrio para isso, pois a liberdade que conquistei me faz feliz o suficiente para que eu não sofra, para que eu não queira nada para sempre e para que eu não fique vivendo o minuto seguinte e sim o presente.... Se foi bom, guardo na minha caixa de memórias, se não foi, guardo também, mas a sete chaves, pois não é do meu interesse abrir baús cheios de falsos tesouros se eu tenho a possibilidade de pegar as melhores coisas que vivi e sorrir para o passado sem sofrer. 

- Silvana Hennicka