sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Por Amar Demais...

Carla era uma bela mulher. Estudante do terceiro ano de arquitetura e vários projetos a executar. Com cabelos loiros, corpo de bailarina e um sorriso inocente, Carla, aos 23 anos, ainda era virgem, mesmo nos dias de hoje, onde meninas de 15 anos já são mães. Carla sonhava em se entregar a um homem especial. Ela não queria só uma noite de sexo, ela idealizava algo a mais, uma família talvez. O sonho de Carla virou realidade quando ela conheceu Mauro, um homem vinte e dois anos mais velho, mas que fazia Carla se sentir uma princesa e ela soube que, a tão sonhada hora havia chegado. Não vou me prender aqui, às famílias de cada um dos lados, mas posso dizer que Mauro estava vivendo um momento de tristeza, pois havia perdido seu único filho e terminado um relacionamento de sete anos com outra mulher, também mais nova do que ele. Talvez a carência misturada com a tristeza pela sua perda fizeram com que Mauro também se entregasse a Carla e os dois decidiram viver aquela paixão. Tudo isso não teria nada de mais, seria uma história de amor comum, se não fosse pelo fato de que Carla engravidou na segunda vez que se entregou a Mauro. Com toda a inexperiência que cerca uma mulher ingênua, ela viu seu lindo futuro virar fumaça e pra piorar o seu tormento, aos três meses de gravidez, ela descobriu que a ex-namorada do seu, agora marido, também estava grávida de um mês e que o filho era dele. O sofrimento de ter que conviver com outra barriga crescendo no mesmo tempo que a sua, levaram Carla ao desespero e ela passou em torno de sete meses internada, pois a tristeza tornou-se uma companheira e ela já não queria mais viver. Mauro continuou com Carla, pois em nome do amor que sentia, ela o perdoou e dois meses após nascer Felipe, Mauro precisou se ausentar para acompanhar o parto do seu outro filho, que segundo ele, foi fruto de uma única noite, uma recaída e Carla fingia acreditar. A dor maior dela foi por ter que ouvir o homem que ela amava dizendo que a outra era gostosa e que a experiência que faltava para Carla, ela tinha de sobra e que sendo assim, ele não conseguiu resistir. Carla sofria em silêncio. Ela sofria pela interrupção dos seus sonhos, pelo filho que chorava dia e noite, pela falta de prazer que sentia por ainda não conhecer seu próprio corpo, por não ter aproveitado a sua vida sexual antes de ser mãe, mas principalmente, por saber que Mauro não lhe pertencia. O que Carla idealizou, nunca seria real, pois ela teria que conviver para sempre com o fantasma da traição e a dúvida sobre quem era o seu marido. Mauro era um homem bem sucedido e influente e se usando disso, conseguiu um bom emprego para Carla, pois assim, ela iria se sentir melhor e de certa forma, foi isso que aconteceu. Mas as coisas ficaram pior quando, após, mais uma discussão, Carla foi pra casa de sua mãe e levou suas coisas, talvez ela esperasse que Mauro implorasse pra que ela voltasse, mas ao invés disso, ele foi embora pra outro estado e no momento que Carla voltou para o lugar que pensava ser seu lar, seu castelo terminou de desmoronar ao perceber que ele a havia deixado de vez. Ela ficou muito bem amparada com casa própria, um bom emprego e uma gorda pensão pra Felipe, mas ela não queria o que o dinheiro pudesse compra, Carla queria só queria o seu amor, o seu homem, o pai do seu filho, uma coisa, que na cabeça dela, era simples. Ela queria sua família unida e então, resolveu perdoa-lo e por amor, viver uma "meia" vida, se conformar com as migalhas de uma felicidade que ela nunca sentiu de verdade, mas que era o suficiente para alimentar sua alma e diminuir sua dor. Hoje Felipe já completou um ano de idade e Carla continua com Mauro, mesmo ouvindo todos os dias seu coração lhe dizer que ele está com a outra. Mauro nunca falou a Carla que a amava e pra ela isso não tem importância, pois seu amor é o suficiente para os dois, então tudo bem. Eu me pergunto como ela pode amar ele mais do que a si mesma, mas no fundo não a critico, pois eu mesma, já me anulei por pensar que amava alguém que só me maltratava, mas no caso de Carla, Mauro não finge amá-la e tenho certeza que um dia ela vai acordar e perceber que nunca valeu à pena. Que minutos de alegria, não apagam dias de sofrimento.  

- Silvana Hennicka

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A Diferença Está No Caráter

Eu não entendo por que as mulheres que se dedicam ao seu amor, sempre sofrem enquanto as mulheres que mal tratam, que não dão carinho e que só pensam em si mesmas, conseguem atenção? Por que é sempre assim? Converso com mulheres que batalham, que acordam cedo, cuidam da casa dos  filhos e ainda tem tempo pra fazer uma massagem ou oferecer um carinho em seu companheiro, e mesmo assim, são ignoradas e quando ficam tristes e reclamam, tem que ouvir que querem ser o centro das atenções. O que me conforta é saber que essas mulheres são as que fazem a diferença na vida de um homem. Essas serão as mulheres de quem eles irão lembrar no dia em que estiverem velhos, doentes ou sozinhos. São essas mulheres que vão deixar saudade no dia em que o sexo selvagem com uma qualquer, já não tiver mais importância e que nesse período da vida, o que faz a diferença mesmo, é o companheirismo. Por que os homens ainda acham que nossa felicidade está em uma linda casa, um carro do ano, um cartão de crédito sem limites ou viagens caras? Talvez isso tudo faça a diferença na vida de uma mulher sem o mínimo de capacidade intelectual e que só sabe expressar o que sente quando abre as pernas. Para mulheres bem resolvidas, o que importa mesmo é saber que se é valorizadas, que se é desejada e respeitada pelo que ela é e não pelo que mostra quando está pelada. Quando será que os homens vão aprender dizer eu te amo sem abrir a boca, sem falar uma única palavra, pois amor é muito mais do que essa frase mágica, amar é respeitar a pessoa que se dedica e que acha graça até quando você está de mau humor, desde que você não desconte nela as suas frustrações. Nós mulheres, e não apenas pessoas do sexo feminino, não queremos ser o centro das atenções e não achamos que o mundo deva girar ao redor do nosso umbigo, mas também não merecemos ser tratadas com descaso e agressividade. Não dá pra entrar na neurose de que nós estamos sempre com a pessoa errada, que temos o azar de atrair homens problemáticos e autoritários. Penso que talvez isso seja da criação do homem, que eles carreguem consigo esse orgulho que não os deixe admitir que são imperfeitos e que não permite também, que eles peçam desculpas quando percebem que deixaram sua companheira triste, desde que o macaco arrancou os pelos e começou a andar ereto.  

- Silvana Hennicka

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Para Uma Simples Reflexão

No dia em que você admitir que faz coisas que me magoam e conseguir me pedir desculpas, talvez  a ideia de te deixar e viver essa amor sozinha, longe daqui, não invada mais meus pensamentos. Não tenho duvidas do que sinto por você mas a incerteza em relação ao que me faz bem e o que me faz mal me deixa instável e decepcionada. Sinto que nem através das inúmeras coisas que já te falei, nem através das inúmeras conversas sobre meus desejos e minha fragilidade como mulher, você aprendeu alguma coisa sobre mim. Estou cansada das indiretas através de textos, mensagens e metáforas estupidas que só aumentam o meu sofrimento quando percebo que você nem liga pra mim, muito menos para o que eu estou querendo lhe dizer. Não vou mais chorar nem tentar te mostrar que você precisa se moldar a mim assim como eu tento me moldar a você, ou o quão rápido você está me perdendo. Eu não quero mais sofrer por amor e quando falo que sinto falta de quando éramos apenas namorados é porque naquela época eu setia que tinha importância pra você. Eu já não sei se você me ama ou se você simplesmente não sabe amar, eu só sei que estou triste e com vontade de não estar aqui quando você voltar pois, eu sei o que vai acontecer, você vai colocar o seu orgulho a frente do nosso casamento e para não transformar nossa vida em um inferno e matar o amor que ainda sinto por você, eu vou me doar e novamente fazer de conta que você não me magoou mais uma vez. É triste pensar no fato de que, o que para você não tem importância, para mim pode significar várias lágrimas que apenas meu coração consegue sentir. Você não é obrigado me amar ou estar ao meu lado, mas se fez essa escolha eu só te peço uma coisa, cuide de mim e do amor que eu tenho pra te doar até o último dia da minha vida. (Anônimo)