quinta-feira, 18 de outubro de 2012

A Hipocrisia Que Envolve o Amor



Ontem eu ouvi uma moça falando que quem ama tem que provar isso, só porque o namorado dela havia pegado um avião e se deslocado até a Alemanha para acompanha-la na viagem de volta para o Brasil. Fiquei me pergunto se é esse o significado do “amor”, algumas horas em um avião. Depois ouvi a mesma moça contando pra amiga, que não aguentava mais as mentiras dele e a falta de consideração em relação a ela, então a amiga ficou irritada e falou em voz alta e foi por isso que consegui ouvir: “Eu não sei como você aguenta isso. Ele te sacaneia o mês inteiro, daí liga chorando, manda uma passagem e você sai correndo, como um cachorrinho adestrado, esquecendo o quanto ele te faz chorar, as vezes que ele já te traiu... Você pegou outra mulher na cama dele e continua achando que o que ele sente por você é amor?” A conversa entre as duas prosseguiu e entre lágrimas de uma e “verdades” ditas pela outra, eu fiquei me perguntando: por que as mulheres tem essa mania de achar que precisam de provas de amor? Muitas exigem anéis de compromisso, fotos do casal em redes sociais, flores, presentes... e para elas, isso é o suficiente para provar o amor que ele sente por ela. Pra mim, amar é muito mais do que mandar um buquê de rosas vermelhas ou um presente caro, coisas desse tipo. Essas atitudes encantam, dão vida nova ao relacionamento, porém, elas servem apenas, para alimentar uma chama pré-existente e não para provar alguma coisa. No dia que as mulheres entenderem o amor como algo que não necessita de provas para ser verdadeiro, que não está à venda e que não é necessário mostrar para o resto do mundo e sim vivido entre o casal, talvez possamos vislumbrar relacionamentos mais sólidos e verdadeiros. Tem mulher que aceita ser humilhada, maltratada, perdoa traições... mas basta o homem fazer uma viagem pra “Alemanha”, espera-la com pétalas de rosas espalhadas pelo quarto, ou abrir uma garrafa de vinho qualquer dizendo que comprou especialmente pra ocasião, para ela ter a prova que tanto esperava: “ele” a ama. Mas no fundo esses momentos só tem valor se forem transformados em fotografias e causarem inveja a alguém, pois do contrário, não existiriam festas de casamento e as alianças seriam simbólicas. Desculpem-me aqui os românticos, eu não sou contra o romantismo, até acredito que “ele” seja o adubo do amor, eu só estou tentando entender por que isso tem que estar à frente do companheirismo, da lealdade, da cumplicidade e da soma diária dos defeitos de um com os problemas do outro, até os dois encontrem o equilíbrio? Por que provar amor é mais importante do que olhar nos olhos e não precisar dizer nada, apenas sentir o coração do outro batendo dentro do “seu” peito, a tal troca de sensações? A resposta é simples, sentimentos não são vistos e poucas pessoas têm sensibilidade o suficiente para de sentir aquilo que não sabem dar. “Você” não vai precisar de provas quando desenvolver a capacidade de confiar e de merecer o amor do outro, não tornando-se proprietária nem propriedade de ninguém, amando-se acima de tudo e não permitindo que outra pessoa fale o contrário do que você pensa sobre si mesma. Se você expõe a sua felicidade, corre o risco de alguém roubá-la, pois “esse” é um dos bens mais preciosos e que muitos não tiveram ainda a oportunidade de sentir. Quem aceita viver de migalhas, não merece ser feliz!
Silvana Hennicka!