terça-feira, 29 de maio de 2012

Mais um dia chega ao fim e a noite vem dominado a vasta imensidão que compõe o universo, enquanto eu, continuo me perguntando, quando vou obter as respostas? Quando você vai criar coragem para me explicar os por quês  e assim, livrar-me desse peso que sobrecarrega os meus ombros? Em alguns momentos eu já não quis saber, por que você finge que não sabe que ainda sofro. Eu já não quis saber, se você está feliz e se encontrou paz na sua vida incerta e descompassada. Há muito eu grito e imploro para que alguém me diga que foi um sonho, que foi um engano, que tudo não passou de algo criado pelo meu inconsciente, mas acordo e percebo que foi real, e que marcou a ferro o meu coração. Viver dos pedaços dessa curta vida que tive ao seu lado, virou o meu presente e será o meu futuro, a não ser que você decida me dar as respostas. Eu poderia implorar, eu poderia insistir, mas de nada vai adiantar, já que você, se recusa a me ouvir, a me amparar e se nega me amar. 


Silvana Hennicka!!