segunda-feira, 21 de maio de 2012

Estou escrevendo um conto. Estou escrevendo frases, soletrando rabiscos e decifrando o meu passado. Quero voar cada vez mais alto e me lançar cada vez com mais ousadia. Sou forte, sou o desafio em forma de mulher e uma loba vestida de branco em meio a escuridão. Não acho prudente me provocar, pois viro bicho, faço feitiço, apago as velas e te entrego as trevas. Quero colar os pedaços nos lugares errados, remontar o que caiu no chão e virou pó, reconstruir a minha história, que no meio do caminho se cansou de ser insignificante para virar romance, filme de amor, comédia... Me permiti sair do porão escuro que um dia você me trancou, renasci, conquistei liberdade e aprendi que amar demais faz da vida escravidão, faz dos sonhos, devaneios que te levam para um mundo sem cor, sem brilho, sem nada. Para mim restou um futuro promissor, cheio de coisas realizáveis, para você, restou pensar em mim até o dia em que Deus lhe arrancar o último suspiro.


Silvana Hennicka!!