domingo, 1 de abril de 2012

O Mais Triste Adeus

Não sei porque, mas hoje o dia está diferente, está mais bonito do que de costume. Acabei de acordar e vejo que o Sol brilha em sua plenitude, iluminando meu quarto com seus raios brilhantes, que não respeitam os limites da cortina, invadindo assim, o meu espaço. Gostaria que esse dia tão belo, não estivesse tão triste, mas tem coisas na vida que não podemos programar ou evitar, principalmente quando certos acontecimentos independem da nossa vontade e fogem ao nosso controle. É triste quando precisamos enterrar pessoas que amamos, mas a vida é assim, e desde que começamos a dar os primeiros passos, aprendemos a conviver com perdas e ganhos, isso faz parte da vida de cada ser humano e comigo não está sendo diferente, mas ainda bem que eu tenho o Sol para me ajudar a superar mais essa perda, pois se eu tivesse que passar por isso, vendo as lágrimas da Lua, não sei se eu suportaria. Hoje estou enterrando o meu amor, estou dando adeus a pessoa que mais me fez feliz, e que com a mesma intensidade, me fez chorar. Ele foi a pessoa que mais me fez acreditar na vida e que apesar das mentiras, que resultaram, na morte de dois corações, me mostrou a face do amor. É estranho eu não estar chorando, ou sofrendo, parece que todas as lágrimas que existiam em meus olhos, já esgotaram-se, durante o período em que aguardei o retorno, durante o período em que esperei ele se dar conta de que não conseguiria viver sem mim, mas não deu tempo, pois agora, ele já não existe, ele se foi para sempre. Não há mais ninguém para esperar, não há mais um nome "off"que eu vou aguardar ficar online um dia, tudo acabou, a sua vida acabou e não há nada que eu possa fazer. Sofremos pelos nosso atos, pelos nosso erros e eu sofro hoje, por ter esperado demais e não ter percebido que tudo já não existia há muito tempo. Devo aceitar a sua partida e desejar que seja feliz em sua nova jornada, enquanto terei comigo as lembranças do que vivemos e agora pelo menos, eu já não preciso mais passar os dias que me restam, imaginado que você vai se arrepender, que vai me pedir perdão e vai voltar para os meus braços, pois, você se foi, tornou-se a mais bela lembrança e eu, com certeza morrerei observando o jardim, na esperança de que minha borboleta preferida toque meu rosto, no momento em que eu fechar os olhos. Eu precisava ter entendido o significado de viver intensamente cada minuto e ter passado mais tempo te amando ao invés de ter perdido tanto tempo discutindo por coisas medíocres e que nos levaram a destruição. Hoje não posso mais reverter a situação, pois você já partiu e me abandonou, agora me resta esperar o momento, não de te arrancar do peito, mas o momento de recomeçar sem você e aceitar que o destino é cruel e implacável e que não se preocupa pelo sofrimentos dos seres que habitam o mundo. Tenho uma pergunta que não sai da minha cabeça e que é bem provável, nunca terei a resposta, fui eu quem matou você, ou você simplesmente cometeu suicídio? A resposta não está bem clara e já cheguei a pensar que na verdade você nunca existiu, foi fruto de um desejo incontrolável que eu tinha de ser feliz e agora só estou libertando meu coração das amarras que o prendiam. Ao mesmo tempo que estou sofrendo a sua morte, também estou sentindo uma sensação de liberdade. Estou triste, mas não me permito chorar, pois a vida é assim e devo aceitar o que me é imposto por ela. Tentei fazer o melhor possível, dar o melhor de mim, mas isso não foi o suficiente para salvar o nosso amor e consequentemente salvar você. Nunca pensei que passaria por isso, sempre esperei que a vida nos desce uma segunda chance, mas não deu e agora me resta aceitar a realidade e continuar colocando esta linda história de amor nas páginas de um livro, para que no futuro, casais apaixonados consigam errar menos e com isso, não matem o sentimento mais lindo que existe, o AMOR, que deveria sim, estar acima de "tudo" e o tudo, jamais deveria se tornar tão pouco.

Silvana Hennicka



Adeus!!


Silvana Hennicka!!