domingo, 11 de março de 2012

Equilíbrio!

Eu desisto dos por quês.
Eu desisto de esperar.
Eu busco abrir uma janela e deixar o sol entrar.
Quando há chuva, fecho os olhos e viajo.
Navego no mar e sou guiada pela Lua.
Pego carona nas asas dos sonhos e não penso no amanhã.
Sem anjos, sem guias, sem ninguém pra me acalmar.
Apenas uma morada pra onde ei de votar.
Sou sorriso e plenitude.
Sou o rosto do desconhecido.
Minha alma é de rosas, mas meu corpo é de fogo.


Silvana Hennicka!!