segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Hoje não tenho tudo o que desejo, mas tenho tudo o que preciso pra ser feliz e homem pra mim hoje é sinônimo de cautela e precaução. Não consigo mais olhar nos olhos de um homem e acreditar que o que ele fala é verdade, depois de ouvir tanta mentira. Que me perdoem aqui os homens sinceros e verdadeiros, se é que existem. E não adianta colocar aqui aquele clichê dizendo que se eu nunca encontrei alguém bom o suficiente pra mim deve ser porque nunca fiz diferença na vida de alguém ou algo desse tipo. Podem falar o que quiserem, eu fiz a diferença na vida de muitos homens e sei que faço até hoje, mas não consigo tapar o sol com a peneira e fingir que eles, não mentem, fazem pouco caso, não dão valor... É, como fala a minha mãe, talvez eu seja exigente demais, mas pra ser sincera, prefiro ficar só, a ter que fingir não ver as coisas que me magoam, já fiz isso por muito tempo em troca de um amor, mas confesso, não vale à pena. Eu até entendo determinadas atitudes, mas engolir sapos ou chorar por causa de homem, isso eu não faço mais e também não fecho mais a porta da gaiola, se quiser partir, que faça bom proveito da liberdade, mas se não encontrar outra morada tão boa quanto essa, terá que voltar pelo próprio esforço, voando com as mesmas asas que o levaram para longe, porém, se a gaiola já estiver sendo habitada por outro inquilino, não adianta implorar, vai ter que dormir na chuva, mas é bom, pois assim eu não verei as lágrimas de arrependimento de alguém que não dá valor para aquilo que possui.


Silvana Hennicka!!