segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Cicatrizes Não Sangram

Navegando em uma nuvem
Asas abertas e vento na face
Os cabelos soltos e os sonhos realizados
A felicidade plena e inabalável
Agora não mais existe passado
Apenas lembranças de uma vida
Tudo sólido como rocha
Azul como o mar e sublime como o céu
Pra que te necessitar?
Se você faz parte de mim
Resquícios de um verão iluminado em fogos
O dia mais feliz... até então
Mas o tempo passou e a vida prosseguiu
Novos fogos eu verei e ao ao seu lado eu estarei
Não mais como meu anjo, mas como meu tudo 
Sem dor, sem cor...
No reflexo do espelho, há uma mulher
Não mais um ser que sofre
No que vejo do outro lado 
Encontro meus restos
Colados com lágrimas
E nos meus sonhos eu te encontro
Agradeço a ti pelas noites de desespero
Pelas vezes que chamei a morte
Assim aprendi a ter coragem, a vencer o medo...
Hoje sou livre
Sou o vento que toca sua face
Sou o sonho que te persegue
Sou a primeira estrela da tua noite
Sou o Sol que queima sua pele
Sou a Lua que te faz lembrar de mim
Sou a mulher que você nunca esqueceu
Sou o fantasma das suas noites de solidão
Sou a borboleta que falta no seu jardim.


Silvana Hennicka