domingo, 4 de setembro de 2011

Rumo ao Que Me Traz "Vida"

Tanto falei do frio nesses últimos dias e agora tenho em meus ouvidos o zumbir do vento típico do mês de Agosto, que insiste em invadir os primeiros dias de Setembro. O calor é tanto, que o condicionador de ar sofre para manter uma temperatura que me agrade, para só assim, o tédio não se tornar um companheiro. A solidão de um quarto de hotel, já não me assusta, pois aprendi a disfarçar as minhas cicatrizes. As feridas não puderam ser evitadas, mas após muito sofrer, elas se tornaram apenas uma marca em meu coração. Eu tomei um rumo contrário ao que antes me fazia ver o horizonte, agora, meu destino é o céu, pois consegui ter minhas asas de volta. Já não espero por ninguém, já não acredito em palavras doces ou promessas, que com um simples passar de dias, já viram passado ou se perdem em meio aos acontecimentos. Não tenho mais para quem dedicar meus poemas, mas não deixarei de escrevê-los, pois um dia, mesmo que eu não espere, alguém irá merecê-los e eu os entregarei junto com meu coração, que hoje guardo bem longe dos meus olhos, pois já não me interessa saber o que ele pensa, ele é burro mesmo, só me faz errar e assim eu sofro com as atitudes infantis que tomo de vez em quando. Decidi que realizar minhas ambições, por hora é meu combustível, pois não tenho tudo o que quero, mesmo tendo tudo o que necessito e um novo amor, teria que valer a pena, teria que me merecer, ou se tornaria um simples objeto de desejo. Temo ter me tornado uma pessoa que deixou de acreditar no amor, mas não tenho medo disso, pois as coisas acontecem quando a gente menos espera e eu sei que na hora e no momento certo, meu coração voltará a bater dentro do meu peito e eu, mesmo com medo de sofrer, acabarei me entregando a alguém, já que o que eu gostaria de ter, o tempo não trará de volta. Os sonhos que me faziam acordar sorrindo me foram roubados e agora eu procuro não dormir para não ter em minha mente as lembranças do que um dia acreditei ser eterno. Eu tive muitos amigos, uma família, um grande amor... o que nunca tive, foi a vontade de ser alguém que é notada, uma pessoa por quem os filhos sentissem orgulho e que merecesse estar cercada por pessoas de caráter e menos hipócritas, que só pensam em si mesmas... Hoje isso mudou, estou me transformando em uma mulher muito além do que os olhos do ser humanos podem enxergar. Estou me dirigindo a um lugar chamado "vida nova", onde habitarei uma casa com muita paz e um jardim cheio de esperança. Não sentirei mais culpa por deixar para trás coisas que não me fazem bem, pessoas que um dia eu amei e as que amo até hoje. Deixo para trás, números de telefone, que hoje já não faz sentido guardar, pois não me farão uma pessoa melhor, mas guardarei a "sete chaves", os que merecem continuar gravados nos pedaços de minha memória, assim como as poucas pessoas que sentem a minha ausência, por eu realmente, significar algo em suas vidas. Dentro do meu coração sempre entrava mais um, mas hoje eu faço um controle rigoroso de seus acessos. Não permito mais que falsas promessas e planos impossíveis se aproximem dele. Aprendi a ler a mente das pessoas e não mais me deixarei enganar, mas se isso acontecer um dia, é pelo simples fato de eu não ter deixado de acreditar no amor e no ser humano, então eu chorarei no colo de alguém, porém, estarei feliz por ter comigo a certeza de que não coloquei uma pedra no lugar do meu coração e tampouco me tornei um poço de egoísmo.


Silvana Hennicka!!