sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Fazendo a Vida Valer à Pena!!

Quero alguém por completo, alguém que sinta orgulho de mim, que me assuma... 
De nada me interessa o meio termo, não quero pra "de vez enquanto", se for pra ser, tem que valer a pena, tem que ser o copo todo e não só "uma" metade. 
Não quero alguém pra vida toda, quero alguém me mostre a vida no tempo que estiver ao meu lado, assim, eu trocarei meu castelo por uma casa de sapê.
Se eu decidir me lançar de um penhasco, quero aproveitar cada sensação durante a queda, pois confesso, romances água com açúcar não me atraem, eu gosto de adrenalina, de emoções fortes  e de homem com atitude, que me surpreenda e me faça chorar de emoção. 
Viverei entre o amor e o ódio se preciso for, mas nunca deixarei a mediocridade de ninguém me dizer o que é certo ou errado. 
Não gosto de teatro, prefiro fazer minha apresentação na calçada da vida real, a ter que fingir ser algo que não sou. 
Se eu gosto, eu gosto, se eu não gosto, me afasto, não me permito ficar perto do que não me faz bem e já não sofro na hora de romper laços. 
Não me atenho em dar explicações sobre o porquê das minhas atitudes pois, pra cada ação, tem sempre uma reação, para cada ato, haverá uma consequência, e no fundo, a resposta está com cada um.
Há muito passou o tempo em que ter feijão com arroz todos os dias me era o suficiente, hoje eu quero desvendar o sabor das comidas exóticas e dos frutos desconhecidos, mas não recuso um "simples" bife com fritas, se esse, vier acompanhado por uma pitada de bom humor, pois de tristeza, me basta o passado. 
Eu não busco uma noite de sexo, gosto mesmo é de fazer amor, sentir meu coração sair do peito e voar, enquanto meu único desejo é viver no presente para sempre. 
A opinião dos outros, há muito deixou de ser algo que me tirasse o sono, hoje eu prefiro perder meu tempo vivendo, a ter que dar satisfação a quem não me acrescenta nada. 
Nesse mundo maluco que escolhi pra viver, é assim, ou me ama, ou me odeia, pois eu dispenso qualquer coisa que seja "mais ou menos", mas se for do meu interesse eu tenho sim, a capacidade de fingir que não vejo a falsidade estampada na cara de muita gente. 
Sempre ouço dizer que a fila  anda, como se a vida estivesse diante de um "caixa" qualquer e que a cada minuto alguém chamasse o próximo cliente. 
Por que eu escolheria algo que já sei onde está, se o emocionante é caçar, é pescar em alto mar, viajar para lugares desconhecidos...? 
O novo é o que me fascina, pois para mim, a mesmice me deprime, e eu tenho sim, o direito de errar, de quebrar a cara, de chorar por alguém que está distante... mas sofrer... bem... sofrer é uma palavra que prefiro retirar do meu dicionário, já que, dos meus olhos saem lágrimas, mas eles não refletem infelicidade ou derrota, não mais! 
Sou boa o suficiente pra existir, nem que seja na vida de uma única pessoas, não me importo, multidões me sufocam. 
Antes ter "um" homem sincero, "um" amigo verdadeiro, a ter vários hipócritas me bajulando o tempo todo... criar cobra para ser picado, deixo para as pessoas estúpida. 
Eu posso entender atitudes precipitadas e enganos, aceito pedidos de desculpas e sei perdoar, mas a tal da mentira... isso é uma coisa que não vale à pena comentar.
Eu também já menti e é bem provável que eu continue me usando desse artifício, mas não espero prejudicar ou magoar alguém com meus atos e confesso, não quero ser perfeita, quero ser simples e despersonalizada  buscando equilíbrio todos os dias. 
Não quero me arrepender pelos erros, mas sim, errar menos, principalmente na arte da vida a dois. 
Quero dar o meu melhor e encher de alegria as pessoas que me amam pelo que sou e não pelo que elas idealizam em mim. 
Tenho nas veias a ambição como combustível e a cada nascer do Sol eu serei mais e mais feliz.
Se eu pudesse, eu desenharia a minha felicidade, mas isso é impossível, ela é grande demais e não caberia em uma simples folha de papel.


Silvana Hennicka!!