quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Um Mundo Melhor Para Nossos Filhos ou Filhos Melhores Para o Nosso Mundo?

Não faz muito tempo, a ignorância de uma pessoa me fez pensar sobre a incapacidade que o ser humano tem de ser sensível. Eu estava colando no meu carro um adesivo do WWF Brasil, quando um imbecil (me desculpem o termo), chegou e me disse que era uma palhaçada gastar tanto dinheiro para salvar o planeta e que os netos dele não precisavam ver urso panda, pois ele nunca tinha visto um dinossauro. Quanta ignorância dentro de uma só cabeça. O planeta está morrendo e as pessoas ainda não se deram conta de que estão morrendo junto, não é só uma questão de salvar a vida selvagem, mas de salvar o ar, a água, as plantas, e principalmente salvar o ser humano. Fiquei indignada também, quando uma amiga me disse que se cadastrou em um site de uma marca de shampoo e ganhou umas amostras grátis. Eram até bem atraentes, mas fizeram a mesma embalagem original em tamanho miniatura, onde cabia apenas 40ml de produto, ou seja, ela iria lavar o cabelo uma única vez e a embalagem iria acabar entupindo um boeiro qualquer. Muito se fala em deixar um planeta melhor para os nossos filhos, que hoje só conseguem ver um animal selvagem, se visitarem um zoológico, mas o que está se fazendo de verdade? As escolas fazem campanhas, ensinam as crianças a separar o lixo reciclável, mas vendem em suas cantinas produtos industrializados, que são embalados individualmente, causando assim um aumento gradativo na produção de embalagens inúteis. Lembro da minha época, quando a escola vendia pão com molho e bolo caseiro, servido em um guardanapo e acompanhado por um copo de leite de soja ou chocolate quente. Para os que não podiam comprar, tinha uma sopa deliciosa... Nada de porcarias que só levam nossas crianças a obesidade infantil, e não adianta negar, nós, pais, já perdemos o controle da situação. As vezes eu penso que a Angelina Jolie estava certa quando disse que depois que a escola se tornou no que é hoje, ela prefere ensinar seus filhos em casa. Fico pensando como seria a educação dos meus filhos se eles nunca tivessem ido para a escola, com certeza não saberiam viver em sociedade, mas e daí? Eles provavelmente não conheceriam a palavra bullying e saberiam o significado de um simples olhar... Eles não ficariam exigindo tudo o que o colega tem e provavelmente nem saberiam o que é um videogame de última geração ou um macbook (foi isso que meu filho de 12 anos me pediu, detalhe, ele já tem um notebook), mas essas crianças são o futuro do planeta, seres programados para consumir até o último recurso, porque nós, adultos estamos permitindo isso... É muito mais fácil comprar comida congelada ou semipronta, do que passar horas na cozinha, como a minha mãe fazia e sem hipocrisia, eu também sou assim. Meus filhos são da geração "miojo" e eu me envergonho disso, mas não há nada que eu possa fazer, pois para isso eu teria que isolá-los do mundo e desse sistema em que vivemos. A televisão é pior que uma arma, ou melhor dizendo, é uma fábrica de delinquentes, pois transforma nossas crianças em zumbis da tecnologia e do vocabulário de baixo nível, com programas inúteis e que não acrescentam nada à vida de ninguém. 
Bom era o tempo em que o Lion-O passava o tempo todo tentando livrar o mundo do Mumm-Ra, ou o Tom tentando pegar o Jerry. Tinha ainda a Formiga Atômica e muitos outros desenhos que me dão saudade. É claro que não dá para viver do passado, mas o mundo está em uma evolução fora de controle e precisamos manter os olhos bem abertos em relação aos nossos filhos.


Silvana Hennicka!