segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sem a Beleza da Vida

Hoje o orvalho não está leve como todas as manhãs.
Parece uma chuva forte que arrancou as folhas das árvores.
Hoje meu sorriso está sem brilho.
Parece uma vela, que queimou até se extinguir.
Hoje meu olhar não tem luz própria.
Necessita da luz da Lua para ser visto.
Hoje meu rosto está triste.
Parece um jardim sem flores.
Minha alma hoje possui apenas ramos secos e cores cinza.
As borboletas partiram e levaram com elas a beleza que um dia eu chamei de “vida”.

Sivana Hennicka!!