sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Eu sei que prometi um texto baseado na história real de uma amiga minha, mas estou meio atordoada com a viajem, compras, malas e tudo mais.... mas prometo que no mais tardar até amanhã eu consiga postá-lo. Vocês vão se emocionar com a história de uma menina que, carinhosamente chamarei de Letícia, para não expor sua memória. Um beijo a todos e obrigada pelos elogios, tudo o que escrevo aqui é para vocês. Amo tudo isso e espero nunca parar de escrever e logo o segundo livro. Ah!! Mesmo longe eu continuarei aqui, jamais abandonarei vocês!!

Silvana Hennicka!!!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Quem Sou Eu?

Será que existe resposta para “quem sou eu”? Penso que não, pois as vezes sou Sol e as vezes sou Lua, frio e calor, dia e noite, amor e ódio, vida e morte… Sou o ser que habita meu corpo nos momentos mais incertos e assim, nunca sei quem sou e não sei se um dia saberei… Anjos me dizem que sou a instabilidade em forma de mulher, vivendo no corpo de uma menina, que lança seus sonhos ao vento todas as noites, na esperança de um dia realiza-los.

Silvana Hennicka!!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Um Mundo Melhor Para Nossos Filhos ou Filhos Melhores Para o Nosso Mundo?

Não faz muito tempo, a ignorância de uma pessoa me fez pensar sobre a incapacidade que o ser humano tem de ser sensível. Eu estava colando no meu carro um adesivo do WWF Brasil, quando um imbecil (me desculpem o termo), chegou e me disse que era uma palhaçada gastar tanto dinheiro para salvar o planeta e que os netos dele não precisavam ver urso panda, pois ele nunca tinha visto um dinossauro. Quanta ignorância dentro de uma só cabeça. O planeta está morrendo e as pessoas ainda não se deram conta de que estão morrendo junto, não é só uma questão de salvar a vida selvagem, mas de salvar o ar, a água, as plantas, e principalmente salvar o ser humano. Fiquei indignada também, quando uma amiga me disse que se cadastrou em um site de uma marca de shampoo e ganhou umas amostras grátis. Eram até bem atraentes, mas fizeram a mesma embalagem original em tamanho miniatura, onde cabia apenas 40ml de produto, ou seja, ela iria lavar o cabelo uma única vez e a embalagem iria acabar entupindo um boeiro qualquer. Muito se fala em deixar um planeta melhor para os nossos filhos, que hoje só conseguem ver um animal selvagem, se visitarem um zoológico, mas o que está se fazendo de verdade? As escolas fazem campanhas, ensinam as crianças a separar o lixo reciclável, mas vendem em suas cantinas produtos industrializados, que são embalados individualmente, causando assim um aumento gradativo na produção de embalagens inúteis. Lembro da minha época, quando a escola vendia pão com molho e bolo caseiro, servido em um guardanapo e acompanhado por um copo de leite de soja ou chocolate quente. Para os que não podiam comprar, tinha uma sopa deliciosa... Nada de porcarias que só levam nossas crianças a obesidade infantil, e não adianta negar, nós, pais, já perdemos o controle da situação. As vezes eu penso que a Angelina Jolie estava certa quando disse que depois que a escola se tornou no que é hoje, ela prefere ensinar seus filhos em casa. Fico pensando como seria a educação dos meus filhos se eles nunca tivessem ido para a escola, com certeza não saberiam viver em sociedade, mas e daí? Eles provavelmente não conheceriam a palavra bullying e saberiam o significado de um simples olhar... Eles não ficariam exigindo tudo o que o colega tem e provavelmente nem saberiam o que é um videogame de última geração ou um macbook (foi isso que meu filho de 12 anos me pediu, detalhe, ele já tem um notebook), mas essas crianças são o futuro do planeta, seres programados para consumir até o último recurso, porque nós, adultos estamos permitindo isso... É muito mais fácil comprar comida congelada ou semipronta, do que passar horas na cozinha, como a minha mãe fazia e sem hipocrisia, eu também sou assim. Meus filhos são da geração "miojo" e eu me envergonho disso, mas não há nada que eu possa fazer, pois para isso eu teria que isolá-los do mundo e desse sistema em que vivemos. A televisão é pior que uma arma, ou melhor dizendo, é uma fábrica de delinquentes, pois transforma nossas crianças em zumbis da tecnologia e do vocabulário de baixo nível, com programas inúteis e que não acrescentam nada à vida de ninguém. 
Bom era o tempo em que o Lion-O passava o tempo todo tentando livrar o mundo do Mumm-Ra, ou o Tom tentando pegar o Jerry. Tinha ainda a Formiga Atômica e muitos outros desenhos que me dão saudade. É claro que não dá para viver do passado, mas o mundo está em uma evolução fora de controle e precisamos manter os olhos bem abertos em relação aos nossos filhos.


Silvana Hennicka!
As pessoas demonstram sua total incapacidade de crescer, quando deixam de fazer o que o coração pede, simplesmente por que a mente não concorda. 

Silvana Hennicka!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Apenas um Alerta Sobre HIV e as Mulheres

Não foi fácil tomar esta decisão, mas hoje eu resolvi fazer um texto que foge aos meus padrões. Hoje não vim aqui para falar dos meus sentimentos ou expor o meu estado de espírito, eu vim aqui para fazer um alerta. Já não sou uma menina tem algum tempo, (apesar de me sentir como tal) nem por isso, eu deixo de sair e me divertir, na maioria das vezes, com mulheres que poderiam ser minhas filhas. Com o passar do tempo, eu comecei a prestar mais atenção em tudo o que me cercava e reparei que os jovens estão perdendo o eixo que os mantinha em equilíbrio. Pouco tempo atrás, existia uma grande preocupação com o uso de drogas, mas hoje isso já não é o maior problema, o problema maior hoje em dia, e para qual a sociedade fecha os olhos é o aumento significativo de casos de HIV entre os adolescentes... Sobre isso falarei mais adiante, agora vou me concentrar no fato de que, no último dia 07, foi sancionada uma lei que torna mais severas as penas contra pedofilia, é o tal estupro de incapaz, que pune qualquer pessoa maior de 18 anos, que por algum motivo, se envolver com um menor de 14 anos, mesmo que não haja ato sexual, enfim, não cabe a mim, explicar sobre leis, mas eu fico indignada com tudo isso. Acho sim, que devemos defender nossas crianças e nossos adolescentes contra a violência, seja ela qual for, mas não dá pra achar que uma menina de treze anos, que anda pela rua, vestida como uma mulher adulta, fumando, bebendo e se oferecendo pra qualquer “um” que lhe pague mais uma dose, seja uma vítima. Eu não vou aqui, falar sobre o oposto, quero me ater as mulheres, ou no que, as pessoas do “sexo feminino” estão se transformando e depois ainda exigem respeito por parte dos homens, me poupem... Eu jamais tomarei partido perante esta situação, mas penso que as mulheres já não fazem questão de serem respeitadas, pois isso as tornaria caretas perante as amigas. Uma menina que saísse da balada, sem beijar pelo menos um homem (eu disse, pelo menos um), não teria o que contar pras amigas no colégio ou na faculdade na segunda-feira, ou então não ter ninguém para apontar na rua e dizer, esse eu já peguei, só que não me lembro o nome dele... Isso me faz ter vergonha de ser mulher. Eu por várias vezes, já fui chamada de careta, retrógrada... enfim, existem vários adjetivos para me qualificar, mas eu não ligo para o que pensam a meu respeito, eu me amo e graças a Deus, eu não achei meu corpo no lixo, mas não estou aqui pra falar de mim e sim, de para onde está caminhando a nossa sociedade cheia de moral. Não era pra eu me estender tanto, pois o que vim expor aqui, começa agora... Recentemente eu viajei para uma cidade do interior do Paraná. No domingo à noite eu saí para dar uma volta de carro e encontrei um amigo que não via há 6 anos. Durante a conversa, eu fiquei estarrecida, quando ele me disse que duas horas antes, estava transando com três adolescentes menor de idade (ele tem 41 anos) e que fez vasectomia recentemente, pois não queria mais engravidar ninguém, já que tem 3 filhos, todos com mães diferente. Meu queixo caiu, não só pelo fato de ele ter transado com três menores ao mesmo tempo, mas pelo fato de não usar camisinha e ainda me disse, quando eu o questionei sobro isso, que ele prefere morrer transando a ter que abrir mão do que mais gosta de fazer que é “trepar”. Mas como que essas mulheres se sujeitam a isso, já que não está estampado na cara de ninguém “sou portador do vírus HIV”? Eu dei corda e ele continuou falando, disse que tinha em seu currículo, mais de 1200 mulheres, mas que dava pra contar nos dedos das mãos, as mulheres que realmente valeram a pena, ou que lhe despertaram alguma emoção, ou seja, o restante, nada mais foi que simples objetos sexuais. De repente mais homens se aproximaram e entraram na conversa. Um cara de quase 50 anos, disse que os homens tratam as mulheres da maneira que elas lhe permitem e que eles só se aproveitam da situação e que se as elas se dessem ao respeito, os homens as respeitariam. Gente!!! O que é isso!!! As pessoas não querem mais saber de compromisso com ninguém, ainda mais depois que começou a existir o tal do “ficar”, e quem é comprometido com alguém, não respeita essa pessoa. Na verdade o mundo virou uma suruba e quando um homem ou uma mulher decide que chegou a hora de arrumar alguém para esquentar seus pés no inverno, simplesmente não encontra. Simplesmente não existem mais romances como antigamente, ou pelo menos, estão cada vez mais raros... Novamente eu estou desviando do assunto principal, que é o risco que essas meninas/mulheres estão correndo em relação ao vírus da AIDS. Eu percebi, através de pessoas bem próximas a mim, que não existe receio por parte delas e nem por parte deles e que, a maior preocupação é o fato de não engravidarem, daí tomam anticoncepcional, pílula do dia seguinte...  mas e o preservativo?? Cadê a tal da camisinha, que deveria proteger contra tudo isso?? Só posso dizer uma coisa, eu fiquei assustada quando fiquei sabendo a quantidade de adolescentes portadores do vírus HIV, na cidade onde eu resido. Não posso citar aqui a fonte que me repassou essa informação, mas posso dizer que muitas delas sabem que tem o vírus e não dão a mínima... é aquela coisa que passa na cabeça dos jovens, eles pensam que são imortais e que com eles nada pode acontecer e quem acaba sofrendo com as desgraças, são os pais e o resto da família. Quando será que a juventude vai entender que dá pra se divertir, ter amigos, beber, dançar... desde que isso não prejudique sua vida e a vida das pessoas que a cerca. 
Estou escrevendo esse texto para alertar as meninas, moças e mulheres e não para dizer que devemos virar freiras e não sair mais de casa, não, eu só acho que devemos nos dar mais valor e parar de nos expor tanto, pois eu tenho certeza e já acompanhei muito isso, dificilmente uma mulher que vai pra cama com “um” qualquer, apenas por sexo, e que além disso, não se protege, acorde feliz no outro dia, como aquela mulher que esperou o cara certo e que se cuidou para não se arrepender mais tarde. Mulheres, vamos dar mais valor a vida e ao amor. Desculpe se não sou jornalista e não sei fazer um bom texto, mas meu objetivo é dar o alerta e pedir para que as mulheres se cuidem mais e tomem como exemplo, vários casos de pessoas que, literalmente “quebraram” a cara por levarem uma vida sem limites e sem regras. Lembre-se, nada é mais importante pra você do que você mesma, então se você não tá nem aí pra opinião dos outros e quer apenas viver a sua vida da maneira que escolheu, ok, mas pelo menos se proteja e proteja os outros também, pois a vida não é uma roleta russa e não podemos levá-la na brincadeira.

Silvana Hennicka!!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Céu

No dia em que tirei esta foto, eu era uma pessoa que acreditava plenamente no amor e na felicidade... Eu poderia conquistar o mundo se assim o quisesse. Hoje eu acredito que ainda posso amar e que todas as coisas ruins que eu trazia em mim, já não existem. Vivo das minhas memórias e com isso conquistarei, não apenas o mundo, mas a eternidade...


Silvana Hennicka!!

Nos Sonhos...

Eu deveria tê-lo guardado nos meus sonhos, junto com os meus segredos mais íntimos, assim eu poderia encontrá-lo todas as noites... Eu diria pra saudade que ela já não é bem vinda... Eu não me importaria mais com o passar dos dias e quando o inevitável acontecesse e chegasse a hora de "cair" no sono eterno, você seria meu, por toda a eternidade. 


Silvana Hennicka!!

Guarde-se pra você.

Tudo o que é exposto ao Sol, desbota.
Tudo o que é exposto à chuva, apodrece.
Tudo o que é exposto ao vendo, resseca.
Tudo o que é exposto ao pó, encarde.
Felicidade compartilhada com pessoas invejosas, acaba rapidinho.
Guarde seus sonhos pra você e não permita que lhes sejam roubados.
Não exponha as coisas que você não quer que acabe.
Não exponha as pessoas que você não quer perder.
Proteja-se do mundo e do veneno das cobras da sociedade.
Deixe entre quatro paredes os seus suspiros e não revele a ninguém quem os arranca de você.
Finja que tá tudo certo, mesmo que não esteja.
Demonstre alegria mesmo em momentos de tristeza.
Seja simples e despersonalizada, pois só assim, não serás invejada.

Silvana Hennicka!!!

Uma Alma Aprisionada

Na imensidão daquela estrada, pensei em alguém. Ouvindo uma música com um toque de saudade, eu chorei e com a visão embasada pelo existir das lágrimas, firmei o volante. A chuva era tanta que eu me pegava confusa, no meio do nada. Os trovões, os faróis dos carros que vinham na direção contrária e as gotas d`água que explodiam no para-brisas, me desconcentravam, mas um rosto não me saia da mente, então, desejei ser  transportada para um mundo, onde as mágoas se transforassem em rosas vermelhas e a decepção em beija-flores coloridos... Eu sempre imaginei que com o tempo a saudade fosse se extinguindo, mas, novamente eu me enganei. A saudade hoje, me faz refletir sobre as oportunidades que joguei fora... Me faz pensar nas vezes que meu orgulho não me deixou fazer o que meu coração mandava, porém, alegro-me pelas poucas vezes que tive coragem de enfrentar o mundo, apenas para ter algumas horas de felicidade. Um vacilo fez com que o carro saísse da pista e depois que passou o susto, meu choro se intensificou. Comecei a imaginar como somos frágeis... seres mortais e provisórios, que em questão de segundos, podem deixar este mundo. Mesmo com tudo isso na mente e com o coração apertado, eu precisava voltar a acelerar... Eu não podia parar... Ter mais uma vez a morte ao lado, me fez refletir. Um ponto de interrogação, enorme se posicionou dentro de mim. "E se eu tivesse morrido?" Não existe resposta para essa pergunta e nunca existirá, pois a pergunta não é essa... A pergunta é: "Será que quando eu morrer, eu terei realizado os meus sonhos, que, dia após dia eu deixo pra amanhã? ". Preciso rever tudo e fazer o que meu coração está implorando que eu faça, pois um dia, será tarde demais... Não consigo fazer isso... eu já não sei se vale a pena ouvir meu coração, ele já errou tanto, ou não? Talvez minha mente me cegue tanto que eu não consigo ver o óbvio e sendo assim, eu me mantenho imóvel diante dos fatos, diante das pessoas e diante de mim mesma. Eu poderia agora, fazer o que acho que não devo, pois meu coração está mandando. Eu poderia também, acessar minha alma, para tentar assim, encontrar a resposta, mas esse ato implicaria em libertá-la  e isso já não é possível, pelo menos não hoje, pois uma alma livre, é capaz de fazer o maior estrago dentro de uma pessoa... Quando se liberta a alma, não é preciso ouvir o coração, ou a razão, basta se deixar guiar, pois a alma é pura e sem rótulos. A alma não tem personalidade e nem deve satisfação para essa mente cheia de convenções que guia o corpo e rege as atitudes de cada ser. O problema de libertar minha alma é que ela sabe para onde me levar e o que é certo fazer, mas o medo de errar novamente me faz mantê-la aprisionada e em um estado de total hibernação. Hoje minha alma não vê, não ouve, não sorri, não chora... ou seja, hoje minha alma não vive, apenas existe.


Silvana Hennicka!!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Olhando Pela Janela

Hoje eu passei o dia todo na internet, brigando com os servidores de hospedagem de sites e nem percebi que a tarde estava terminando. Fui até a cozinha afim de fazer um café e ao olhar pela janela, percebi que o céu estava nublado, com uma cara de que muito frio estava por vir. Enquanto esquentava a água, eu fiquei sonhando acordada... Lembrei da fazendo da minha avó e desejei estar lá novamente, não como criança, mas como mulher e compartilhar com ele aquilo tudo. Desejei ter um amor, que acordasse comigo todas as manhãs para tomar café ao redor de um fogão à lenha no inverno... Que saísse pelos campos em uma tarde sol, a fim de colher flores para enfeitar a casa... Passar o fim do dia deitados em uma rede, esperando apenas o tempo passar... Curtir a chuva num domingo e comer pipoca enquanto organiza a coleção de selos... Buscar laranjas direto do pé de laranjeiras para fazer um suco natural na hora do almoço... Fazer amor com a janela aberta enquanto a luz da Lua ilumina os nossos corpos... O apito da chaleira me assustou e eu fui trazida para a realidade da minha cozinha, não estava nua, não havia Lua e tampouco o meu amor, o amor que tanto desejo. Eu estava sozinha olhando pela janela, em mais uma seção de melancolia. Impossível realizar tal sonho, pois o lugar já não existe, o fogão enferrujou, os campos secaram, a rede ficou velha e foi transformada em pano de chão, a coleção de selos está abandonada em uma caixa, o pé de laranjas foi cortado e a Lua me abandonou quando soube da minha preferencia pelo Sol, então fazer amor já não faz sentido. Já não faz sentido sonhar, pois, mesmo que a Lua retorne um dia para iluminar meu corpo, eu estarei só e triste.. não conseguirei sorrir. Agora me resta voltar para a mesa do computador, com uma xícara de café preto nas mãos e viajar apenas pelas páginas da web, já que as páginas que formam os meus sonhos não conseguem ser viradas.

Silvana Hennicka!!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Luto Por Alguém Que Partiu Sem Dizer Adeus!

Eu poderia escrever um texto enorme sobre a falta que sentimos de quem parte antes da hora, ou da dor que pessoas queridas deixam em nosso peito, sem falar no vazio, mas hoje eu prefiro me calar. Estou aqui para dizer apenas ADEUS!!


Silvana Hennicka!!!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sem a Beleza da Vida

Hoje o orvalho não está leve como todas as manhãs.
Parece uma chuva forte que arrancou as folhas das árvores.
Hoje meu sorriso está sem brilho.
Parece uma vela, que queimou até se extinguir.
Hoje meu olhar não tem luz própria.
Necessita da luz da Lua para ser visto.
Hoje meu rosto está triste.
Parece um jardim sem flores.
Minha alma hoje possui apenas ramos secos e cores cinza.
As borboletas partiram e levaram com elas a beleza que um dia eu chamei de “vida”.

Sivana Hennicka!!

Devolva-me a Lua



Quantas vezes eu não toquei o vazio, na esperança de sentir?
Quantas vezes eu não levantei minhas mãos para fazer um carinho?
Quantas vezes eu não fechei meus olhos e visualizei um sorriso?
Você não me permitiu... fugiu.
E agora sinto falta da Lua e do seu brilho inspirador.
Ela tinha o poder de libertar minha alma e me transportar para onde meu coração desejasse.
Hoje restou o calor do Sol e as lembranças do frio.
Nas noites em que a companhia das letras me leva as horas, as lembranças me vêem à mente.
Não a todo momento, mas esporadicamente se fazem presente.
Estas sublimes palavras te pertencem, anjo que mantêm a Lua em sua distância, longe dos meus olhos....
Quando eu estiver certa de que não mais sofrerei por amor, te peço anjo meu, devolva-me a Lua.
Devolva-me a inspiração, mas imploro-te, não leve de mim a luz do Sol, pois necessito do seu calor.
Enquanto a Lua me acompanha em noites melancólicas, o Sol me acorda sorrindo.

Silvana Hennicka

Sol.

Lindo Sol, a Lua que me perdoe, mas farei de "você" minha inpiração daqui por diante, pois a melancolia já não quer me pertencer e os dias de escuridão tentarei não ver.
Através do seu brilho não mais sentirei medo e com a caixa de memórias fechada, as lembranças ruins estão apagadas.


Silvana Hennicka!

domingo, 14 de agosto de 2011

Queria ter o Poder.

Queria ter o poder de prever o futuro, para saber qual o caminho a seguir.
Queria ter o poder de voltar ao passado, para pegar a direção oposta.
Queria ter o poder de colar corações partidos, assim menos pessoas sofreriam por amor.
Queria ter o poder de voar, assim chegaria mais rápido ao meu destino.
Queria manter em mim, o poder de amar, o poder de sorrir e o de perdoar.
Queria ter nas mãos o poder da vida, pois assim, eu não deixaria partir as pessoas que amo.
Queria ter o poder de não errar, para não decepcionar quem só que o meu bem.
Queria ter o poder de me apaixonar novamente e esperar com paciência a chegada do amor.
Queria ter o poder de falar com Deus e pedir que ele desse paz aos corações inquietos.
Queria ter o poder da cura, para espantar os fantasmas que me assombram.
Queria ter o poder de ler pensamentos, assim eu não cometeria injustiças.
Queria ter o poder de cuidar mais de mim e não me entregar aos outros.
Queria ter o poder de não acreditar em tudo que vejo e ouço, para não me sentir ingênua quando a verdade aparecer.
Queria ter o poder de ser feliz, para não mais esperar que alguém traga minha felicidade em uma embalagem de presente.

- Silvana Hennicka!

Planos Impossíveis!


Ontem a noite eu havia separado esta música, eu iria manda-la para uma pessoa em especial, mas hoje isso já não faz mais sentido, mesmo assim eu vou dividir com vocês, meus amigos e leitores. A Manu Gavasi passa através da letra dessa música oque, até ontem a noite eu queria dizer pra alguém, porém é passado... Já não faz mais sentido dizer nada a ninguém... Espero que vocês gostem.


Silvana Hennicka.
Quando suas atitudes são regidas pelo sentimento de amor que você tem no peito, nada do que você fizer pode ser considerado humilhação, pois ouvir o coração é uma prova de que você busca a felicidade e eu nunca mais me arrependerei das coisa que meu coração me disse para fazer.

- Silvana Hennicka.
A partir de hoje eu não mais me permito chorar, os fatos passados me mostraram que nem sempre as coisas são o que parecem e que as pessoas nem sempre esquecem de tirar a máscara. Estamos todos em um palco encenando o que parece ser a peça perfeita, um drama com uma pitada de romance, mas que antes de descerem as cortinas, se transforma em uma comédia digna do cinema brasileiro, cheia de palavras de baixo nível e cenas vulgares.

- Silvana Hennicka.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Um ótimo final de semana à todos.

Não procure em ninguém aquilo que você não consegue encontrar em você mesmo. Faça das horas de solidão a sua felicidade suprema e descubra que o amor por você mesmo é o que te fará uma pessoa melhor e mais realizada.

- Silvana Hennicka.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Onde existe verdade o amor se faz presente e não há nada que possa mudar isso, nem a inveja e a hipocrisia do mundo.


Silvana Hennicka.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Não se Permita Envelhecer.

Sublime é a infantilidade que não permite que a alma envelheça, e com isso te leve para esse buraco escuro chamado de mente racional, que não te deixa viver plenamente e sem culpa. Prefiro receber o rótulo de criança a ter que viver sufocada dentro de um corpo que só serve para uma sociedade cheia de convenções e pessoas hipócritas, que pensam que a beleza, o dinheiro e a posição social irão transportá-los para a imortalidade, mas se esquecem que somos todos iguais e que quando chegar a hora de deixar essa carcaça inútil, teremos as mesmas sensações e é por isso que não me permito envelhecer, quero ter sempre estampado em meu rosto esse sorriso de menina ingênua e apaixonada pela vida. Não te permita também envelhecer, pois a felicidade vai muito além de um rosto cheio de rugas.


Silvana Hennicka!!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A Chave da Liberdade!!

Preguiça que dá sair da cama com esse frio, mas pior ainda é não ver o branco da geada lá fora. Pior é não ver as pessoas com tocas, luvas e cachecóis, indo apressadas para mais um dia de trabalho. Pior que o frio é não tomar aquele café quentinho com uma torrada feita na hora, enquanto checa os e-mails para ver se não tem nada importante.... A vida é tão simples, basta ser vivida, mas então por que não consigo ir em direção ao que me propus? Tenho tudo de que necessito, um apartamento lindo, dois filhos maravilhosos, um irmão por quem tenho um amor incondicional, amigos de todos os tipos e para todas as horas, um ex marido que está sempre ao meu lado e, no entanto, parece que falta algo que não sei explicar o que é. Como acabar com esse vazio que me consome dia após dia? O que foi tirado daqui de dentro deste peito idiota que tá sempre querendo coisas impossíveis? Como dar um basta a isso tudo e parar de sofrer, para simplesmente voltar a viver? Tudo está certo e maravilhoso, e até o que eu não esperava está acontecendo, então me diga por que...? Por que eu ainda choro ao lembrar-me dos sonhos que se dissiparam com a tempestade, se eu sabia que eles eram frágeis como cristal e que deveriam ter ficados guardados em um lugar seguro? Fui eu quem vacilou ao achar que eles seriam eternos e indissolúveis. Eu deveria ter dado um passo de cada vez e não ter apostado todas as minhas fichas em palavras doces e atitudes impensadas. Hoje, eis que estou aqui, pagando o preço que me é cobrado, apenas por ter sido ingênua ao acreditar que o amor era maior que tudo, que nada poderia me atingir, bastava fechar os olhos e sonhar... Não tem como viver assim, de sonhos, pois um dia a gente acorda e percebe que as pessoas mudam e os sonhos desaparecem, tanto da sua mente quanto da mente de quem sonhou com você e o resultado disso se chama tristeza e solidão. Uma hora a euforia do recomeço me faz sentir imortal e no minuto seguinte, uma imagem tatuada na mente, traz em sua moldura um poço escuro, que tem o poder de arrancar lágrimas destes olhos que já brilharam tanto em momentos de pura euforia. Eu não sei de onde tirarei forças, mas nunca mais me permitirei sentir pena de mim mesma. Eu sei que sofro, tenho crises periódicas de tristeza, mas nunca, nunca mais eu terei minha auto piedade em evidência pelos atos dos outros e pelos meus próprios atos, afinal, eu acreditei no que eu quis acreditar, eu fiz o que pensei ser bom pra mim e sentir pena agora, não vai me fazer voltar no tempo e recomeçar, pois o que quero hoje é um "começo" e não um "recomeço". Quero partir do zero e tentar não errar tanto desta vez, quero não deixar minha felicidade nas mãos de ninguém e não fazer promessas que não conseguirei cumprir. Hoje, meu desejo é provar, não para quem me cerca, mas para mim mesma que eu sou capaz de andar com minhas próprias pernas e ser feliz com o que possuo, pois só assim eu conseguirei alcançar o que desejo, que é ficar frente a frente comigo mesma e esclarecer uns fatos que até hoje eu não consegui entender. Quero olhar no fundo dos meus olhos e poder dizer que eu não estava errada ao tomar certas atitudes e jogar esta culpa para bem longe do meu coração. Quero poder admitir que sou livre e que não tenho porque me aprisionar em uma jaula e jogar a chave fora. Eu não posso permitir isso, eu preciso é me lançar de um penhasco com a certeza de que aprenderei a voar antes de chegar ao chão e assim, sentir a tão sonhada liberdade. Imploro todos os dias ao universo, que me dê a direção, pois não basta ter a chave, é preciso saber em qual fechadura colocar e para qual lado girá-la, mas já fico feliz por ter tido coragem de admitir que preciso sair da gaiola e acreditar mais na minha capacidade e no meu talento, pois quando a hora certa chegar eu terei coragem o suficiente para ir de encontro a tudo o que sonhei, pois eles, os meus sonhos, continuam guardados naquela caixinha de memórias que só eu sei onde está, apesar de achar que eles não são o combustível que me mantêm viva, eu ainda quero... Que me perdoem as pessoas a quem magoei, pois sei da minha instabilidade emocional e não tenho vergonha de admitir que eu não sou perfeita e que preciso de um colo de vez enquanto. Com todas as minhas forças, eu estou buscando o equilíbrio para que quando chegar a hora do encontro, eu possa olhar e dizer que sou o desejo realizado em meio as traições do destino.

Silvana Hennicka

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Todos temos o poder de voar.

Preciso estar livre para voar.
Aqui não posso mais permanecer.
Não dá mais para ficar presa a este manicômio invisível...
Me resta pensar
Apreciar as grades da solidão... 
Planejar uma fuga...
Preciso libertar meu coração das algemas...
E após resgatar minhas asas, começarei a jornada
Voarei sobre oceanos
Cruzarei o universo, pois sim, eu posso voar
Sentirei a tão sonhada liberdade
Pousarei sobre uma nuvem
Apenas para observar...
E quando chegar a hora
Saltarei ao desconhecido
Para só então, renascer de mim mesma.


- Silvana Hennicka!!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Por que não se apaixonar!!

Para não ficar suspirando à toa
Para não sentir arrepios e o coração bater mais forte
Especialistas dizem que o coração nasce com o número de batimentos para a vida toda, ou seja, tem prazo de validade, quanto mais usar, menos vai durar
Então se apaixonar é encurtar a vida?
Mas fumar crack também faz isso
Porém o crack mata os neurônios, enquanto a paixão os deixa retardados
O homem quando se apaixona é diferente da mulher
Ela acorda e continua sonhando, ri sem motivos e parece uma pessoa sem noção do ridículo
Enquanto ele nem se dá ao trabalho de dormir
Porque mesmo apaixonado tem que sair com os amigos à noite
A paixão deixa os inteligentes burros
E não permite que os desprovidos de inteligência experimentem essa sensação
Tenha consciência de que, se resolver se apaixonar vai reduzir em alguns anos a sua vida
Além do coração bater mais rápido e envelhecer antes da hora
Você vai “perder tempo” falando ao telefone
Ou “vai perder tempo” esperando alguém ligar
E se não ligar, você ainda “vai perder” a noite de sono chorando
E depois de uma noite mal dormida, não terá fome no café da manhã
Assim vai acabar emagrecendo, veja só, um lado positivo de se estar apaixonado
Além de não dormir, não comer e chorar muito, você ainda vai entrar naquela calça jeans que sempre sonhou
O bom é que a paixão é uma ilusão temporária
Melhor que seja assim
Ou então seria uma ilusão para a vida toda
Então você terá várias chances de continuar errando
Mas pense bem
Se você resolver comprar o pacote completo, vai levar de brinde noites de amor que irão te tirar o fôlego
Cafés da manhã na cama
Rosas vermelhas e muitos cartões com frases prontas tiradas da internet
E quando você conseguir dormir, “ela” irá lhe proporcionar muitos sonhos
Alguns até podem se realizar antes da paixão acabar
Mas a maioria vai virar pesadelo
E lhe farão arremessar muitos copos contra a parede
Apagar muitas fotos do computador
Trocar várias vezes por dia o status do seu WhatsApp
Arrumar uma amiga para fazer as vezes de Cristo
Excluir seu Facebook
E se mesmo assim você quiser se arriscar nesta viajem chamada paixão
Vai em frente
“Ela” pode virar amor.

Silvana Hennicka!

Onde Encontramos a Felicidade?

Em busca de realizar os seus desejos, ela fugiu de tudo e de todos. Não se importou com quem chorava a sua ausência. Foi egoísta ao extremo, mas ela sabia que a hora que encontrasse o que procurava, poderia voltar e trazer a felicidade consigo, uma felicidade nunca sentida antes, uma emoção que a faria voar, que traria a imortalidade até seus pés. Ela precisava daquilo, ou morreria por dentro e assim, a tristeza de quem a amava seria pior do que a saudade que sentiam por ela não estar por perto. No começo a viagem era uma sensação de liberdade que lhe colocava em euforia plena. Todos a admiram, pois ela, além de ser muito bonita, tinha no rosto o sorriso mais puro que alguém poderia ter visto. A expressão de seu rosto fazia com que todos quisessem ficar por perto, ela transbordava paz e alegria. Não existiam momentos tristes ou de solidão, tudo era perfeito. Em cada lugar que passava, ela atraía novos admiradores. Os homens a desejavam e as mulheres apreciavam os seus conselhos de mulher experiente e cada vez mais, ela sentia que tinha tomado a decisão certa. Mas o tempo passou e não restaram muitos lugares onde ela pudesse comprar um pouquinho de felicidade, e com isso, bateu a solidão e a tristeza lhe cercou como um fantasma que inferniza o tempo todo. Ela começou a se lembra de quem deixara para trás e se desesperou ao perceber que a felicidade tão sonhada estava com ela o tempo todo, mas que fora muito egoísta para notá-la. E agora? O que fazer para recupera o tempo perdido? Os anos haviam sido implacáveis e sua beleza já não atraía mais ninguém... Sentiu-se só!!  Decidiu parar e refletir, não queria mais seguir em frente. Seu único desejo era voltar correndo para casa e encontrar tudo o que havia deixado para trás... Queria encontrar tudo do jeitinho que havia deixado, mas em meio as suas alucinações de uma vida perfeita, ela se esqueceu que o tempo não passou somente para ela e que as pessoas abandonadas por ela, por mais que tivessem sofrido, continuaram a viver. A pobre mulher, agora com uma idade que já causava pena, só queria uma coisa antes de morrer, encontrar seu amor, o homem que ela havia abandonado há muitos anos. Ela começou então, uma outra viagem, só que agora dentro de um único lugar, o seu passado. Andou por bares, ruas, lojas.... Pediu informações, mostrou a centenas de pessoas a única foto que possuía de seu amor. A foto estava velha e mal cuidada, já que havia ficado por muito tempo jogada no fundo de uma mala "surrada". Ninguém parecia conhecer aquele homem que ela não percebeu, também havia envelhecido. Ela olhava o retrato em preto e branco e enquanto andava pelas ruas da pequena cidade, que outrora não lhe acrescentava nada, lembrava dos passeios pela praça e dos beijos roubados atras da escola. Ela chorou... Chorou muito quando viu que não encontraria mais sua outra metade e que morreria sozinha e triste, mas o pior, era ter a certeza de que não havia ainda, encontrado a felicidade tão sonhada. Tudo o que vivera durante os anos de euforia, em nada lembrava hoje a felicidade. Voltando à realidade após perder todos os anos de sua vida, ela lembrou-se que a felicidade era ganhar um botão de rosa no dia dos namorados, dar colo a uma amiga que estava triste, andar em uma roda gigante toda enferrujada e segurar a mão de quem estava do lado, deixando transparecer o medo que se estava sentindo, receber os amigos no sábado à noite para assistir filme e beber vinho "canção", pois a felicidade está na companhia e não na qualidade da bebida. Ela percebeu que para ser feliz é preciso tão pouco, é comer algodão doce no domingo à tarde sentado no meio fio e reparar na roupa das mulheres que passam, só para poder criticar, é mandar mensagem as cinco horas da manhã para os amigos, apenas para dizer: "tô te acordando porque te amo". Ela nunca se perdoaria por ter deixado sua felicidade para trás, por ter abandonado o grande amor de sua vida, que na hora de sua partida lhe implorou para que ficasse ao seu lado, pois ele precisava dela para continuar vivo... Ela não quis ouvir seus gritos de socorro e saiu de encontro ao que pensava ser o seu destino. Agora, sentada na mesma praça onde passara a maior parte de sua infância, ela chora inconsolavelmente e sem querer, deixa a foto cair no chão. Com a cabeça baixa, ela vê que uma mão enrugada a apanha e a leva para o alto. Ela passa as mãos no rosto, a fim de enxugar as lágrimas e levanta a cabeça na esperança de ver quem se faz presente à sua frente. O velho homem sorri para ela e pergunta: "É você quem está me procurando?


Silvana Hennicka?

Frio!

Talvez seja o frio, ou quem sabe este vento típico do mês de agosto que me faça ficar assim, triste, com dores horríveis pelo corpo... Sinceramente? Eu não sei o que se passa, e pra ajudar aumentar minha angústia, uma amiga me disse que escrevo coisas tristes demais para serem admiradas, e que eu deveria buscar a felicidade que está presa dentro de mim... Devo deixá-la sair, assim como um pássaro engaiolado faz quando abrimos a porta de sua prisão. Entrei no meu carro e fiquei pensando por um instante... O computador de bordo mostrava que a temperatura era inferior aos 5°C e isso me desanimou mais ainda, então como eu conseguiria escrever algo menos melancólico e que fizesse alguém sorrir, se eu mesma não conseguia me animar? A temperatura continuava caindo e meus dedos estavam gelados. Tentei melhorar tudo, aumentando a temperatura interna do veículo... Se pelo menos o Sol deixasse a preguiça de lado e despontasse no céu, que estava cinza e com aspecto europeu... mas nem isso... Olhei várias vezes para o visor do celular, na esperança de que houvesse algum sinal de vida... Nada!! Apenas a página dos favoritos surgia na tela, então desisti. Parei meu carro em um lugar, que se duvidar ele sabe ir sozinho, por conta das tantas vezes que já o guiei até lá. Não tinha como eu me animar sem dividir com minha amiga o meu estado de espírito. Fiz o certo!! Resolvemos almoçar juntas e tudo mudou. Encontramos um amigo que nunca está triste e ele conseguiu fazer com que eu gargalhasse em poucos segundos, mas risada mesmo, nós demos após uma publicação no facebook. Uma foto montagem que deu o que falar... Após um tempo juntas, ela se foi. Minha amiga voltou para o trabalho e eu aqui estou, tentando escrever algo animador, mas confesso que não consigo. Não consigo escrever o que não estou sentindo. Se pelo menos eu pudesse disfarçar ou fingir que está tudo bem, talvez saísse de dentro de mim uma meia dúzia de palavras, que agrupadas a mais algumas, formassem frases mais interessantes. Eu não precisaria de muitas, apenas: emoção, satisfação, liberdade, otimismo, esperança, confiança e poucas outras, que eu tenho certeza, dariam um bom texto, mas enquanto isso não acontece, aqui vou eu, curtindo um vazio sem fim, mas sem soltar a pontinha de lucidez que ainda me resta, pois um dia eu sairei do fundo do poço para dar bom dia ao Sol, o mesmo Sol que se recusou a me aquecer hoje pela manhã, quando meus lábios ficaram roxos de tanto frio.

Silvana Hennicka!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Tormento

A intensidade da chuva é a mesma com que as lágrimas descem pela minha face. Por que você não está aqui para ouvir comigo o barulho das pesadas gotas d`água explodindo ao se chocarem contra o vidro da janela? Por que eu preciso ser punida por algo que não fiz e permanecer sozinha neste quarto escuro e sem vida? O som da chuva está me enlouquecendo e não sei se suportarei ficar "nessa" por muito tempo... Um trovão quebra o clima melancólico, e em um gesto involuntário cubro minha cabeça com o edredom branco que tanto me aqueceu nas noites de inverno. Com os olhos fechados sob o calor gostoso que meu corpo produz ao permanecer ali, imóvel, eu pensei em você, o anjo que já não tem asas para voar até mim... O medo e a insegurança corroem tudo o que tenho de bom, então, para continuar andando pelo caminho da vida, eu me apego a um frágil fio de esperança que ainda mantenho preso entre meus dedos, pois parar, seria aceitar o fim.


Silvana Hennicka!