segunda-feira, 18 de julho de 2011

Refletindo....

Há dias que não consigo escrever. Estive pensando... Será que estou sem inspiração, ou será que a tristeza foi embora? Por muitas vezes eu tentei entender o que se passa comigo, mas a única coisa que consegui entender, é que não existem respostas para algo desconhecido. A maior parte dos meus contos e textos tem um toque especial de melancolia e tristeza, porém, já não sinto tudo isso dentro de mim. E agora? Que atitude tomar para continuar fazendo o que mais gosto, que é escrever? Sei que a resposta está aqui, mas não consigo acessá-la. Talvez eu continue querendo escrever coisas que já não fazem parte da minha mente, ou tenha medo de ser feliz e escrever coisas positivas e que façam as pessoas sorrirem. Não posso negar que a decepção ainda faz parte do meu mundo, mas já não choro quando as lembranças me preenchem a mente, ou quando, sem querem, as fotos aparecem na tela do computador. Eu poderia criar um álbum chamado "saudade", mas isso seria camuflar a realidade e voar de volta para a gaiola que me torturou por tanto tempo. Vivi prisioneira de mim mesma por um tempo muito longo e agora preciso ver no que há em minha volta, a perspectiva de um recomeço. Preciso entender que também tenho limitações e que a vida não é um jogo de vídeo-game, onde eu passo dar uma pausa quanto quiser buscar um copo d`água. A vida continua, querendo eu, ou não. Não posso mais esperar por algo que já sei, não vai acontecer, pois para isso, tudo teria que ter mudado e eu tenho plena certeza de que a mudança está longe de acontecer, pois admitir os erros é para poucos. Conheci pessoas que preferiram ser infelizes à ter que admitir que não são perfeitas... Pedir perdão então... essa palavra simplesmente não existe no dicionário de muita gente, não que elas não saibam que erraram em algum momento de sua vida, mas porque deixaram o orgulho se posicionar acima do coração. Eu nem sei por que reclamo tanto, ganhei a vida de volta em uma bandeja repleta de amigos e sonhos, que novamente estão invadindo minhas noites. Achar que tudo estava perdido, sofrer por antecedência e ficar sabendo que ganhei outra oportunidade para continuar aqui e corrigir meus erros,  é mais do que motivo para eu respirar fundo e sorrir todos os dias. Estou em um aprendizado contínuo com meu corpo, que sempre me mostra, mais e mais, o quanto eu "posso", desde que mantenha uma simbiose entre mente e alma. Se eu pudesse fazer um pedido hoje, pediria para que alguém, perdido em qualquer lugar da terra, sentisse o que eu estou sentindo, pois só assim, eu seria feliz por completo. Substituir ódio, desilusão e desprezo, por amor, não é uma tarefa fácil, ainda mais quando não se admite que o ódio surgiu por conta dos nossos próprios erros, mas para quem deseja muito, nada é impossível e eu não vou desistir de acreditar que ainda há uma chance para recomeçar, não importa de onde se tenha parado, nem que, se preciso for, eu volte ao começo e viva tudo novamente, sinta cada emoção, tanto as boas quanto as ruins, pois viver, não significa apenas sobreviver neste mundo onde a maldade e a inveja se fazem presente há todo momento e em todos os lugares. Com o pensamento que eu tenho hoje, se eu pudesse voltar no tempo, eu guardaria tudo o que de bom vivi, em um lugar bem escondido, longe dos olhos de qualquer pessoa, pois o que é bonito, deve ser preservado, para que ninguém tente tomar posse. Eu não faria isso como uma forma de demonstrar propriedade ou egoísmo, claro que não, mas como uma maneira de manter o amor e o respeito das pessoas que passaram pela minha vida e me fizeram bem, assim como pretendo dar valor ao amor das pessoas que aqui estão e que ainda virão...


Silvana Hennicka!!!