domingo, 24 de abril de 2011

O Medo Como Um Fantasma.

Pequena mulher no corpo de um ser muito frágil, que com poucas palavras ditas por uma pessoa especial foi acordada de um sonho.
Parecia forte e decidida, mas no fundo de sua alma só tinha um desejo...ser feliz.
Sabia que tudo dava errado quando estava triste e mesmo assim insistia em continuar.
Buscava com tanta vontade uma força dentro do peito para superar a angústia que sentia quando via que não valia mais a pena.
Repetia todos os dias que bastaria ter paciência e vontade para transformar uma paixão avassaladora em um amor eterno.
Talvez não fosse o bastante, pois teria que superar muitos outros desafios, como a instabilidade, o medo, a covardia, a ambição e a falta de vontade de quem a completava, correr atrás da própria felicidade, sentimentos estes que fazem a vida perder o sentido.
Um dia quando acordou, percebeu o que estava acontecendo, se doava por completo e não sobrava nada para si, e sem amor, sem carinho, sem esperança e sem uma perspectiva de chegar ao final da viagem, ela decidiu que deveria somar tudo o que antes era apenas distribuído.
De nada adiantou, pois quando pensou ter finalmente encontrado o caminho, uma nuvem negra se formou no céu e encobriu todas as estrelas que iluminavam sua vida. Restando apenas as luzes dos postes e os faróis dos carros, decidiu tomar uma atitude, criaria um sol próprio, e só assim ninguém mais poderia atrapalhar sua trajetória.
Muitas noites chorou, chorou de saudade, de tristeza, de desespero e, chorou também pela falta de coragem de dizer como se sentia por ter que viver escondida das pessoas que mais queria conhecer.
Seu maior desejo talvez, fosse ter a prova de que era boa o suficiente simplesmente para poder existir.
Todas as fases ruins eram apagadas pelo amor que possuía dentro de si, amor este que tinha o poder tirá-la do inferno e levá-la para o céu, lugar este que lhe dava a oportunidade de tocá-lo, sentir seu rosto, seu cheiro e ver aquele sorriso de menino que tem medo da vida.
Descobriu o quanto a vida é curta quando teve a morte batendo à sua porta e percebeu que ter medo piora tudo, então resolveu sorrir e procurar a outra parte de si. Quando encontrou sua outra metade nunca mais teve medo, pois sentia que estava protegida e descobriu que o amor na verdade, nada mais é, que duas almas em um só corpo. 

- Silvana Hennicka!