sábado, 30 de abril de 2011

Meus desejos!

Preciso de um sorriso
De um corpo quente no frio
De um sonho antes de acordar
De uma luz pra me guiar
De um rosto para tocar
Doce mel de uma vida
Uma estrela que reluz
Uma imensidão que não tem fim
Volta, anjo de asas longas
Volta para a tua casa
Que é a nuvem a qual repouso
Incessante é meu martírio
Lágrimas a rolarem
Sofrimento e tristeza
Atormentam meu caminho
Preciso encontrar a paz 
Me livrar desta prisão
Da qual só você tem a chave
Realize os meus desejos
E assim me faça sua
Inteiramente realizada
Inteiramente saciada
Seu corpo me alimenta
Sua voz me acalma
Seu gemido me arrepia
Fico frágil e peço mais
Mais amor
Mais você
Tudo como deve ser.


Silvana Hennicka!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Hipocrisia ou Mentira?

Como devemos lidar com pessoas hipócrita? Eu venho me fazendo esta pergunta há algum tempo. Chegou uma época que eu não conseguia distinguir um mentiroso de um hipócrita, daí percebi que são praticamente a mesma pessoa. Segundo a wikipédia, hipocrisia é o ato de fingir ter crenças,virtudes, ideias e sentimentos, que a pessoa na verdade não possui, ou seja, são pessoas que passam o tempo todo encenando uma peça. São atores que representam e fingem comportamentos. Um exemplo clássico de ato hipócrita é aquela pessoa que se faz de santa para a sociedade, mas no fundo não vale um tostão furado. Hipocrisia é pretensão ou fingimento de ser o que não é. Os atores gregos usavam máscaras de acordo com o papel que representavam numa peça teatral. É daí que o termo hipócrita designa alguém que oculta a realidade atrás de uma máscara de aparência. Já o mentiroso é definido da seguinte maneira: Pessoa que faz afirmações e negações falsas e que na maioria das vezes quer que seus ouvintes acreditem em seus dizeres. Para mim a hipocrisia e a mentira andam de mãos dadas. Nunca conheci um mentiroso que não fosse hipócrita.

- Silvana Hennicka

A Mais Bela Lembrança!!

Este conto foi baseado em uma conversa que ela teve ao telefone com seu grande amor. A tristeza a cercava e ela não sabia mais o que fazer. Quando mais ela chorava, mais ele se afastava. Em uma noite de solidão, ela implorou para que ele explicasse o que estava acontecendo. Por que já não era como antes? Ele então, sem medo de magoá-la, disse: "Não foi esta a mulher que eu conheci. A mulher que eu conheci, brilhava e você está apagada. O sorriso pelo qual eu me apaixonei, há muito tempo não está no seu rosto.Você parou de cuidar do seu jardim e não só eu, muitas outras pessoas, estão se afastando. Eu tento, mas, já não consigo mais te tocar". Ao ouvir estas palavras ela quis saber o que aconteceria se demorasse para tudo acontecer. Se as flores demorassem a nascer, ele ainda a esperaria? Ela teve uma surpresa ao ouvir que não importava o tempo que demorasse, ele voaria até ela, assim que sentisse toda aquela energia novamente. Como de costume, ela teve mais uma dúvida. E se em meio a espera ele perdesse suas asas, como chegaria até ela? Ele respondeu: "Se você demorar, a ponto de eu perder as minhas asas, eu juro para você, me arrastarei até  encontrar o seu jardim, farei um buraco embaixo da mais linda flor, e, ali eu morrerei feliz".
Ele era instável e ela muito apaixonada, não que ele não a amasse, amava, e muito, mas o medo de não saber o que fazer ou de não saber como fazer os distanciava.
Ela foi perdendo seu brilho, brilho esse que mantinha ele com esperanças.
Os dois quase não se tocavam, pois a distância era grande e com a dor da ausência, ela parou de cuidar do seu jardim.
As flores foram secando uma a uma, pois deixaram de ser regadas e o resultado disso, foi o afastamento progressivo das borboletas.
Ela só se deu conta do que estava acontecendo, quando a última borboleta desapareceu. Não era só mais uma, era a mais bela de todas, aquela que fazia com que ela acordasse feliz todas as manhãs.
Olhar pela janela agora, era uma tortura, ver um lugar que outrora havia sido um recanto de beleza, transformado em ramos secos e cores cinza, não fazia bem a ela, e seu brilho então acabou de vez.
A tristeza tomou conta de sua alma e seus sonhos também fora sumindo um a um.
A razão pela qual ela esperava o futuro já não existia mais.
Certa manhã, após dias de incertezas, ela acordou com a esperança de que se voltasse a cuidar do seu jardim as borboletas poderiam então retornar e foi o que aconteceu.
O trabalho começou com a reposição das plantas velhas por mudas novas. As cores deveriam ser as mais variadas e as flores as mais belas.
Após dias de trabalho pesado o resultado era inexplicável.
Havia borboletas de todas as cores.
Ela olhava para elas, uma a uma, mas onde estava a mais bela?
Só então percebeu que apesar de tudo, seu objetivo não havia sido alcançado.
Poderiam estar ali todas as borboletas do mundo, mas o vazio de ter deixado partir a única razão do seu viver jamais seria preenchido.
Ela não perdeu a esperança e continuou plantando flores e mais flores....em vão.
A espera poderia ser eterna, então ela resolveu ir atrás da única razão para tanto esforço.
Tamanha foi sua angústia ao descobrir que sua borboleta preferida já não podia voar.
De nada adiantava seu esforço para atraí-la de volta, ela jamais viria.
Então seu jardim foi novamente morrendo e seu brilho apagando.
Passava as horas olhando pela janela na esperança de ver seu grande amor voltando.
Mesmo estando tudo sem vida e deprimente ela não abandonou o seu jardim e num belo dia viu que algo andava entre meio as folhas secas.
Sem saber direito o que era ela foi se aproximando.
Seus olhos se encheram de lágrimas ao ver a mais bela das borboletas se arrastando pelo chão.
O trajeto havia sido longo e dolorido.
Seu corpo indefeso estava machucado e cansado.
Ela então a tomou nas mãos e olhos em seus pequenos olhos cheios de alegria por ter conseguido seu objetivo, voltar para casa.
Já não havia mais vida em seu corpo frágil, agora a bela borboleta poderia morrer em paz.
Todos os dias quando acorda, ela agradece a Deus por nunca ter desistido, pois através de sua persistência, ela pode ver seu amor pela última vez.
Amor esse que quebrou todas as barreiras  e a fez ver o quanto era amada e desejada.
Amor que será eterno. Outras borboletas aparecerão, mas nunca tomarão o lugar da mais bela, pois ela foi única e se tornou uma linda lembrança.
Os anos passaram, ela envelheceu, porém nunca mais perdeu seu brilho. Toda vez que olhava o jardim, ela tinha a impressão de que seu amor estava lhe observando, como se fosse uma das flores.
Durante anos ela foi cortejada por borboletas das mais belas e, com seu jeito meigo, pedia desculpas e dizia ser fiel.
Sua beleza foi desaparecendo, junto com a vontade de continuar lembrando de seu amor e finalmente numa tarde ensolarada ela apagou.
Morreu sentada ao lado da casa que possuía a mais bela variedade de flores que já havia existido.

 Silvana Hennicka.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Como Fazer para Despertar?


Sinto como se estivesse sempre dormindo.
Abro meus olhos pela manhã mas é como se meu mundo fosse um sonho.
Não sei se sonho ou pesadelo.
Planejo quase tudo.
Mas quase tudo dá errado.
Já tentei não sair da cama.
Já tentei nem deitar nela.
Já quis fugir de casa.
E as vezes nem olhar pela janela.
Nada me faz acordar deste sonho, que é a minha vida.
Meu nome é instabilidade e meu destino...
É passar os dias esperando algo que nunca acontece.
E alguém que nunca aparece.
Buscando fantasias que não se realizam.
Iniciando viajens que não tem destino.
Queria ser como os pássaros.
Voam para onde querem, porém podem ser mortos por uma única pedrada.
No meu caso fui abatida por uma paixão.
Mas se minha vida é um sonho então devo estar dormindo.
Se estou dormindo posso ter a esperança de um dia acordar.
Acho que até acordo de vez enquando.
Meu telefone toca de madrugada e sim, tenho certeza, acordo.
Acordo de um pesadelo para entrar na vida real.
Isso tá errado!!!
O sonho deveria começar agora.
Minha mente tá confusa!!
Alguém pode por favor resumir o que é a "droga" da minha vida??
Se um dia eu tiver as respostas talvez conte em forma de um poema.
Talvez eu faça uma música.
Ou simplesmente não faça nada.
Apenas comece a viver antes de voltar a dormir.
Uma amiga disse que isso tudo é psicodélico.
Ela deve estar certa.
Isso tudo é idiota demais para ser algo com conteúdo.
Não a minha vida.
O que tá escrito.
Eu deveria voltar para os versos de amor.
Não sirvo para melancolia.
Eu sou melancólica por natureza.
O tédio é o meu braço direito.
O futuro a Deus pertence.
E eu cada vez escrevo mais besteiras.
É meu momento "sem nada para fazer".

Silvana Hennicka!


segunda-feira, 25 de abril de 2011

Já Sem Asas.

Por onde andas você anjo meu?
Que um dia fez meus olhos brilharem.
Que deu a pista para que eu descobrisse o amor.
Que fez o mundo ficar insignificante nas vezes te toquei seu corpo.
Suas asas o levaram para longe de mim pelos motivos mais incertos.
Mas meu coração me diz que, as mesmas asas te trarão de volta um dia.
Vejo você sentado no alto de uma montanha olhando para o céu ao entardecer.
Pés recuados e mãos no joelho.
Seus olhos estão tristes e molhados de tanto sofrer.
Meu desejo é te tocar, enxugar suas lágrimas...
Mas, diferente de você, já não possuo asas, não posso alcançá-lo.
Olha pra baixo meu anjo e se lança neste abismo a sua frente!
Não tenhas medo, estou aqui para te proteger, caso você não saiba mais a arte de voar.
Meus braços sempre estarão aberto em sua direção.
Meu coração grita, mas você já não consegue ouvi-lo.
Você só consegue ver o horizonte e a incerteza e eu passo despercebida por você.
Queria poder te dar a felicidade em forma de presente.
De alguma maneira, eu tentei.
Não consegui.
Hoje me resta ir em busca de algo que perdi no meio do caminho.
Mas, se pelo menos eu soubesse o que procuro, talvez encontrasse mais rápido.
Não sei o que estou buscando.
Só sei, que preciso da sua mão para me guiar em meio a escuridão que me assombra.
Pois, se o caminho for difícil, eu sei que conseguirei chegar ao final.
E quando isso acontece, vou olhar nos teus olhos e ver o sorriso que tanto espero.
Minha felicidade está diretamente ligada a sua existência.
Então, se não consegue mais se aproximar de mim.
Imploro-te, não se afaste além, pois, para eu continuar viva, dependo de saber que eu ainda significo um ponto de referência, um lugar para onde você pode voltar, um porto onde você possa ancorar a sua alma.
Sempre quis ser a coisa mais importante na sua vida, e, talvez um dia eu tenha sido, mas, por hora, já me satisfaz saber que ainda existo em seu coração ou, naquela caixa de memórias que foi criada para guardar os nossos sonhos.
Silvana Hennicka.

domingo, 24 de abril de 2011

Soluçando!!!

Soluçando, ela ainda sentia o amor.
Aquele mesmo, que quebrou as barreiras do tempo.
Que a fez plantas flores novamente.
E ter o jardim mais lindo.
O choro era inevitável.
Assim como acordar do pesadelo.
Várias ligações feitas para uma caixa postal.
E sua alma pedindo socorro.
Ele não a ouvia.
Estava dormindo.
Ou não?
Sem respostas, ela continuava a soluçar.
As lágrimas molhavam o travesseiro.
As horas se multiplicavam ao invés de passar.
O telefone estava colado à mão.
O sono não vinha.
A noite assombrava.
O tormento aumentava.
Ela queria fugir.
Queria gritar.
Pedir ajuda.
Para quem?
Se seu anjo protetor já não estava mais presente.
Ela abre os olhos.
O sol estava acordando.
Resolveu fazer uma última tentativa.
Alô!
Seu coração voltou a ter esperanças.
Descobriu que tudo pode ser mudado.
Tudo pode ser superado.
Me perdoe.
Eu ainda te amo.
Palavras que não são ditas ao vento.
Palavras que tem um significado único.
Significam que a eternidade pertence a eles.
Que tudo pode ser reconstruído.
Pode ser reconquistado.
Pode ser superado.
Se o amor foi verdadeiro.

Silvana Hennicka!!

O Medo Como Um Fantasma.

Pequena mulher no corpo de um ser muito frágil, que com poucas palavras ditas por uma pessoa especial foi acordada de um sonho.
Parecia forte e decidida, mas no fundo de sua alma só tinha um desejo...ser feliz.
Sabia que tudo dava errado quando estava triste e mesmo assim insistia em continuar.
Buscava com tanta vontade uma força dentro do peito para superar a angústia que sentia quando via que não valia mais a pena.
Repetia todos os dias que bastaria ter paciência e vontade para transformar uma paixão avassaladora em um amor eterno.
Talvez não fosse o bastante, pois teria que superar muitos outros desafios, como a instabilidade, o medo, a covardia, a ambição e a falta de vontade de quem a completava, correr atrás da própria felicidade, sentimentos estes que fazem a vida perder o sentido.
Um dia quando acordou, percebeu o que estava acontecendo, se doava por completo e não sobrava nada para si, e sem amor, sem carinho, sem esperança e sem uma perspectiva de chegar ao final da viagem, ela decidiu que deveria somar tudo o que antes era apenas distribuído.
De nada adiantou, pois quando pensou ter finalmente encontrado o caminho, uma nuvem negra se formou no céu e encobriu todas as estrelas que iluminavam sua vida. Restando apenas as luzes dos postes e os faróis dos carros, decidiu tomar uma atitude, criaria um sol próprio, e só assim ninguém mais poderia atrapalhar sua trajetória.
Muitas noites chorou, chorou de saudade, de tristeza, de desespero e, chorou também pela falta de coragem de dizer como se sentia por ter que viver escondida das pessoas que mais queria conhecer.
Seu maior desejo talvez, fosse ter a prova de que era boa o suficiente simplesmente para poder existir.
Todas as fases ruins eram apagadas pelo amor que possuía dentro de si, amor este que tinha o poder tirá-la do inferno e levá-la para o céu, lugar este que lhe dava a oportunidade de tocá-lo, sentir seu rosto, seu cheiro e ver aquele sorriso de menino que tem medo da vida.
Descobriu o quanto a vida é curta quando teve a morte batendo à sua porta e percebeu que ter medo piora tudo, então resolveu sorrir e procurar a outra parte de si. Quando encontrou sua outra metade nunca mais teve medo, pois sentia que estava protegida e descobriu que o amor na verdade, nada mais é, que duas almas em um só corpo. 

- Silvana Hennicka!

Criando Coragem para Dar Inicio ao Fim.

Quando ele a pediu em casamento ela riu e disse: "olha que eu acredito". O tempo foi passando e ele continuou dizendo que queria viver com ela para o resto da sua vida e que ela era tudo o que ele procurava em uma mulher. Os elogios eram constantes e pareciam muito verdadeiros. Ele dizia que ela poderia ser o que quisesse na vida, bastava escolher o ramo que ela faria dar certo. Viviam um sonho, amor de tela de cinema. Uma paixão sem limites que fez com que ela perdesse a razão. Resolveu abandonar tudo e ir de encontro ao seu amor, mas, tamanha foi a surpresa quando ela ouviu da boca do homem que amava que ele estava desconstruindo tudo o que havia construido nela, quase que afirmando que haviam vivido uma farça, uma mentira sem tamanho. Foi aí que ela resolveu tomar uma decisão, não sofreria mais por amor, pois, por mais que o amasse, esse amor parecia um sonho apenas e de vez enquando ela acordava e a realidade era outra, ele não era mais o homem gentil que ela tanto queria para acordar ao seu lado todos os dias, se transformara em uma pessoa completamente egoísta e arrogante, sem coragem de encarar qualquer desafio que a vida lhe oferecesse. 




Silvana Hennicka!!!